INSTAGRAM - YES! WE CAN DO IT !


terça-feira, maio 26, 2015

Pessoal, hoje a postagem é um pouquinho diferente. Visando divulgar meu blog achei que chegou a hora de fazer um Instagram especialmente para ele. Tenho o meu privado, mas estava ficando cheio de fotos desinteressantes para meus leitores, portanto, a partir de hoje no Instagram do Vivi Viaja vai ter só assuntos relevantes ao tema do blog.

E para quem ainda não sabe, também temos uma fun page no Facebook. Entrem no nosso Instagram e no nosso Facebook para estar diariamente atualizado. Muitas dicas que dou no Facebook acabam não entrando aqui no blog.

O nome é o mesmo: VIVI VIAJA tanto para o Instagram quanto para o Facebook, ok !!
Espero vocês lá! Semana que vem embarcamos para uma nova aventura, LESTE EUROPEU com lugares de muita história, riqueza e claro, belezas !!!

Take care!

DUBAI - EAU - Primeiro dia

asia
quarta-feira, maio 13, 2015

 Nosso voo saiu de Guarulhos às  3h15 da madrugada; depois de 14h  chegamos a Doha, capital do Qatar e de lá mais 1h de voo para Dubai. Chegamos a Dubai as 5h30 manhã. Imigração muito simples, aeroporto vazio.
Ah, tenho uma dica para quem não consegue ficar sem tomar uma bebida e queira economizar, pois em Dubai o álcool, além de ser proibido em alguns lugares, custa muito caro, mas muito mesmo. Compre sua bebida no Duty Free na chegada a Dubai. Achamos excelentes vinhos por um preço muito bom. Não esqueça o abridor de garrafas, foi bem complicado achar, tivemos que andar muito.
Porta de entrada do museu

 Como tínhamos uma programação bem folgada para a cidade, resolvemos chegar e ir para o hotel dormir até o corpo dizer chega (depois farei uma postagem a respeito dos 2 hotéis escolhidos e contar por que  resolvemos ficar em 2 hotéis numa mesma cidade).
 Para o primeiro passeio à cidade optamos por começar pela parte antiga, onde se  conta a história dos primeiros moradores, onde está o museu, mercado de especiarias e mercado de ouro. A região é cortada pelo Creek um braço de mar que se tornou marco da divisão da cidade entre moderna e antiga.
 Voltando ao museu:  eu acho de extrema importância começar por ele a visita a essa cidade que para nós é tão diferente culturalmente. Como o museu é pequeno, você pode levar menos de 30 minutos para conhecer tudo. O passeio é bem interativo; retrata a forma de vida dos beduínos, as casas, escolas e comércios de antigamente.
Essa é a frente de uma casa dos antigos moradores. No alto é a torre de vento, construída para levar frescor para dentro dos lares. Todas as casas antigas possuem essas torres.

 Uma coisa que eu acho muito importante mencionar é que o povo dos Emirados Árabes Unidos, principalmente o de  Dubai até o da  costa de Oman, vivia do mar, pesca e extração de pérolas, algo que só vim a saber visitando o museu, pois achava que eles eram povos totalmente oriundos do deserto sem nenhuma ligação com o mar. Por isso, o hotel Burj Al Arab faz sentido agora para mim, que  sempre fiquei imaginando a quem eles queriam homenagear construindo um hotel em forma de vela.
 Até os anos 50, período da descoberta do petróleo, o povo vivia em total miséria, sem escolas, atendimento médico e qualquer estrutura de saneamento ou eletricidade. No museu existe um telão, que  passa um vídeo muito explicativo de uns 10 minutos sobre o crescimento e desenvolvimento de toda a região. Se você é o tipo de turista que gosta de se aprofundar sobre o sistema organizacional, político e econômico local, vale a pena ficar assistindo.

 olha que graça o bercinho. A casa é inteira feita de barro, ao estilo das casas do Norte e Nordeste do Brasil, porém são revestidas de esteiras de palha, chão e teto. O banheiro fica dentro da casa, ao lado do quarto e a cozinha fica do lado de fora, num anexo.
trabalhadores das docas


 Para entender mais a respeito da cultura Emirati, entre no site do museu e faça sua própria pesquisa.

 Saindo do museu desça a pé até a beira do creek de onde poderá observar um pequeno porto, mas de muito movimento e  que até os dias atuais usa os Dhows, pequenas embarcações de madeira que cruzam o Golfo Pérsico e o  Oceano Índico levando mercadorias para países vizinhos como Iraque, Irã, Índia e alguns países da África.



 Depois de curtir a paisagem desse lado do canal, é hora de pegar um "abra" e atravessar para Deira onde estão os mercados de especiarias e de ouro.




Prepare-se para aquele "muvucão" quase ao estilo 25 de março ou Paraguai. Os comerciantes te abordam e querem muito te levar para dentro das lojas e fazer com que você compre a mercadoria que eles têm disponível. Dá um pouco de aflição, mas é uma delícia. Sem contar o cheio de aromas misturados, as cores vivas das especiarias, os badulaques que turistas adoram consumir como "lembrancinhas"...

Saindo do mercado de especiarias vá para o mercado do Ouro, que fica ali pertinho, umas 3 ou 4 quadras. Todo o tempo que andamos a pé por essa região, me deu um certo receio, para não dizer medo, porque os comerciantes e vendedores ambulantes te abordam o tempo inteiro. Precisei mentalizar que Dubai é um dos lugares mais seguros do mundo e o índice de criminalidade beira a zero !! Só assim para me tranquilizar. Deve ser coisa de brasileiro desacostumado com a segurança.
Esse é o famoso anel, o maior do mundo que já apareceu em emissoras de tv brasileiras e sempre está presente nos blogs de viagem e sites que falam sobre Dubai.

Olha essa blusa de ouro !! Toda tramada, cheia de detalhes, rica em todos os sentidos !

Visão geral do Souk de Ouro
Final do dia em Deira

Para o nosso primeiro dia na cidade, acredito que rendeu muito, ainda mais sendo Dubai uma cidade extremamente espalhada e qualquer passeio leva de 30 a 40 minutos para chegar. Isso é outra coisa que você tem que ter em mente, as distâncias na cidade são realmente longas, como exceção da Velha Dubai, que foi sobre o que eu falei hoje, dificilmente você terá outra oportunidade de percorrer pontos turísticos a pé.



Posts Populares

Curta a página

Por onde já passei