Conhecendo o Santuário de Czestochowa na Polônia

Europa
sábado, setembro 17, 2016

Na passarela que leva à entrada do santuário estão distribuídas bandeiras de todos os países católicos do mundo

Painel com informações sobre as missas e toda a programação diária



a praça principal que em poucas horas ficará intransitável. Chegue cedo para poder aproveitar melhor


As fotos acima e abaixo são da capela principal, a Basílica. Veja como é complicado se mexer ali dentro. Fomos em um dia de semana qualquer e, segundo nossa guia, uma freira, em épocas de festividades religiosas o público fica ainda maior.




Painéis como esses estão revestindo todas as paredes da capela onde está exposta a imagem da Madonna Negra Nossa Senhora de Jasna Gora a padroeira da Polônia. São homenagens pela graça alcançada pelos fiéis. São imagens de pernas, corações, pessoas, crucifixos, rosários etc que os fiéis "entregam" à Santa em agradecimento.

A imagem da Madonna Negra fica exposta na segunda capela, menor que a primeira, que fica ao lado esquerdo da entrada para as capelas. A fila para apreciar a imagem da santa estava enorme. Durante o tempo que ficamos na fila pudemos perceber o semblante das pessoas, algumas choravam compulsivamente, outras oravam e a maioria apenas contemplava uma imagem que é considerada milagrosa.

Virgem Maria com o menino Jesus nos braços (chamada de Madonna Negra) que data do século XIV. Os religiosos acreditam que a imagem foi pintada por São Lucas sobre uma mesa de madeira usada por Maria de Nazaré.





A cidade espiritual fica bem pertinho da Cracóvia e é considerada um bairro da cidade. Se sair bem cedinho do hotel até o meio-dia já estará de volta.

Wieliczka - Mina de Sal na Polônia

Europa
sábado, setembro 17, 2016


A mina de sal mais famosa e impressionante da Polônia fica bem pertinho de Cracóvia, algo em torno de 20 km para ser mais exata. Algumas pessoas me perguntaram se recomendaria esse passeio, e eu digo, não só recomendo como considero imprescindível. Só saberá o quanto fantástico é depois que for. Foto alguma irá mostrar toda a grandiosidade dessa mina. Sem contar em todas as sensações e sentimentos que temos quando descemos até as câmaras. 


Esse é o parque onde está a mina. Chegue antes do seu horário agendado para a visitação para poder dar uma caminhada pelo parque que está repleto de obras de artes.




Com ingressos à mão, hora de pegar o pequeno elevador de madeira para descer. Se você não curte lugares apertados, com bastante gente e meio escuro, melhor nem ir, pois o elevador para mim foi a pior parte do passeio. Eles colocaram umas 30 pessoas dentro de um minúsculo elevador de madeira, ficamos todos enlatados como sardinhas e durante a descida não há luz alguma. Muito tenso. 


As paredes são todas "revestidas" com essas toras de madeira para que não haja desmoronamento.


Assim que descer  do elevador para na primeira galeria, a mais de 30 metros de profundidade, o guia dá as primeiras orientações de segurança, todos ajustam seus fones e começamos o passeio que durará em torno de 2h e serão percorridos 2 km de túneis.


A temperatura na mina mantém-se em 14 graus Celsius o ano inteiro. Portanto, se for no verão, não esqueça de levar um bom casaco, ficar 2h nessa temperatura usando bermuda e camiseta é muito desagradável.
Esculturas feitas em sal

Nessa galeria está exposto como era o cotidiano da mina. Eles tinham um verdadeiro estábulo lá embaixo com várias mulas que eram usadas para o transporte de pedras e materiais de uma galeria para outra.

Só percebam a altura dessa galeria !!

Para passar de um nível a outro da mina foram construídas passarelas e escadarias em madeira.



A fé sempre presente em todas as câmaras da mina


Esse candelabro que parece cristal na verdade é feito em sal


Depois de muito andar chegamos a uma das partes mais impressionantes da mina, a Catedral de Sal ou  Capela de Santa Kunegunda. São 12 metros de altura, 54 metros de largura e 18 metros de comprimento. Absolutamente tudo ali foi feito de sal, os candelabros, o púlpito, a Santa Ceia, piso, teto ...





Escadaria de sal

Altar e púlpito 

A estátua do Papa João Paulo II que era polonês e foi homenageado com essa escultura rica em detalhes. Ele foi até a mina para conhecer a estátua, porém como estava com muitas dificuldades físicas não pode descer até a estátua. 



Em algumas câmaras existem lagos que eram navegados pelos mineiros


Esta é a última galeria aberta ao público e onde está uma pequena loja de souvenirs

Na mina ainda existe um restaurante, a 123 metros de profundidade que serve além de pratos rápidos, jantares requintados.

E quando saímos das profundidades da terra, nos deparamos com o céu já escuro.


Posts Populares

Curta a página

Por onde já passei